sexta-feira, dezembro 02, 2005

Florbela Espanca

"O Teu Segredo


O mundo diz-te alegre porque o riso
Desabrocha em tua boca, docemente
Como uma flor de luz! Meigo sorriso
Que na tua boca poisa alegremente!

Chama-te o mundo alegre. Ai, meu amor,
Só eu inda li bem nessa alegria!...
Também parece alegre a triste cor
Do sol, à triste tarde, ao despedirce do dia!...

És triste; eu sei. Toda suavidade...
Tão roxa, como é roxa uma saudade
É a tua alma, amor, cheia de mágoa

Eu sei que és triste, sei. O meu olhar
Descobri o segredo, que a canta
Repoisa nos teus olhos rasos d'água!..."


No capítulo "O livro D'ele"
Poesia Completa

4 comentários:

Analog Girl disse...

Nos dias que correm, as pessoas ostentam cada vez mais máscaras, para se distanciarem do que lhes faz mal, para manterem o seu mundo intocado e íntegro. A alegria é apenas mais uma delas...

Clau disse...

As pessoas têm medo de mostrarem o que sentem, têm medo de se magoarem, de serem magoados, e assim deixam de viver. Ser feliz não é sorrir 24 horas por dia, é ser-se realmente quem se é, sem medos nem se esconder.

FF disse...

Ah os segredos... quem os não tem?!E máscaras, quem nunca as usou? Neste palco da vida ninguém escapa às personagens que o guião da existência engendrou. É claro que o bom actor é o que transcende o guião, dá-lhe o seu cunho pessoal, transforma, altera, aprofunda as sugestões iniciais. Tendo nós um argumentista e realizador tão compreensivo e capaz de amor (Deus)saibamos nós agarrar a deixa e agregar, genuinamente, ao sorriso cordial e social as gargalhadas vindas das entranhas da alma... puras, profundas, geradas no porto de abrigo das nossas intimidades, libertas da esfera do diplomático distante social. De qualquer forma, não sei viver sem ambos, afinal nenhum Homem é uma ilha... Mas cada qual tem o seu tempo e espaço próprio.

Clau disse...

E como eu sei do que falas... Mas o que eu mesmo gostava era que todos pudessemos ser o que somos sem termos que nos esconder. Afinal esta é uma sociedade de ficção e mentiras, onde nada correspone à verdade, onde nada é o que parece e isso deixa-me realmente triste...